A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Este post também está disponível em: Inglês

A Brasa é uma equipe de Jiu Jitsu Campeã do Mundo que foi formada em 2004. Este time apareceu depois de uma das mais surpreendentes rupturas de equipe na história do esporte, um racha que proporcionou a base do Brasa Clube de Jiu Jitsu e, posteriormente, uma série de outras equipes que apareceram e têm estado entre as mais fortes do século XXI, como Checkmat , a Caio Terra Brazilian Jiu Jitsu Association, ou a Zenith. A equipe Brasa teve o seu auge em meados da década de 2000 através de campeões como Ronaldo ‘ Jacaré ‘ Souza, Robert Drysdale , Felipe Costa, Demian Maia, Rodrigo ‘Comprido’ entre muitos outros.

Nome Brasa Clube de Jiu Jitsu
Linhagem Academia Gracie > Alliance Jiu Jitsu > Brasa
Fundação 2004
Fundadores Rodrigo Comprido, Felipe Costa, Demian Maia, Leo Vieira, Muzio de Angelis, Jamelão, Ratinho, Vitor Viana, Ricardo Vieira, Chico Mendes
1º Faixa Preta n/a
Matriz n/a
Website n/a

Os Dias da Alliance (o Racha)

Hoje, a IBJJF (International Brazilian Jiu Jitsu Federation) está isolada no primeiro lugar no que respeita as mais prestigeantes federações de Jiu Jitsu no mundo, mas em 2002 existiu uma forte organização, a CBJJO ( Confederação Brasileira de Jiu Jitsu Olímpico) que ouzou fazer frente á hegemonia da IBJJF de (então chamada CBJJ). A CBJJO oferecia premiação em dinheiro para os vencedores de seus torneios em todas as faixas, sendo a divisão de elite (faixa preta) a mais prestigiante e bem remunerada com prêmio em cerca de R$5000, uma soma bem considerável para um esporte amador.

Numa manobra de marketing agressiva a CBJJO foi a todo vapor contra o estabelecimento e definiu o seu calendário para coincidir com o da IBJJF/CBJJ​​. Muitos atletas mostraram imediatamente o seu apoio à nova federação, pois havia muito tempo que estavam lutando nos bastidores do mundo do Jiu Jitsu pela remuneração dos atletas. Muitos dos apoinantes da CBJJO faziam parte da equipe de competição da academia Alliance, contudo a idéia de lutar na nova federação colidiu diretamente com o apoio de Fabio Gurgel á IBJJF/CBJJ.

A primeira competição no calendário foi o Brasileiro de Equipes , e a Alliance decidiu fazer uma votação entre todos os professores do time. Fábio Gurgel (da Alliance de São Paulo) como afirmado acima, era contra essa nova federação e, embora ele não fosse o líder da equipe na época (era somente um professor respeitado, com a mesma quantidade de votos que os outros professores), ele conseguiu reunir apoio suficiente para levar o resultado dessa votação a um empate. No final teria ficado acordado que a Alliance só poderiam entrar nos eventos da CBJJO se as competições não coincidissem no mesmo dia.

Numa mudança inesperada dos acontecimentos os atletas conseguiram se reunir com Luiz ‘Luizinho’ Firmino (o presidente da CBJJO) e mesmo com pouco tempo o convenceram a antecipar o Campeonato de Equipes por um dia, tornando assim possível que os atletas da Alliance competissem em ambas as competições. Por razões desconhecidas, mesmo com o novo cronograma , os lutadores foram proibidos de competir por Gurgel. Os que quebraram as regras (Demian Maia, Eduardo Telles e Tererê – que não era aluno de Gurgel , mas estava morando em São Paulo na época) foram punidos por Gurgel que proibiu os atletas de lutar no Campeonato Mundial.

A proibição de os três lutadores causou nada menos do que uma rebelião dentro da academia Alliance. A única fonte do problema seria a indignação dos atletas sêniores do time para com a atitude de Gurgel, por esta razão o grupo procurou o líder da Alliance o Mestre Romero Cavalcanti, a fim de resolver aquilo que achavam ser uma injustiça. Romero, mais conhecido como ‘ Jacaré ‘, optou por não tomar partido e supostamente falou a famosa frase: “nao posso escolher um filho para jogar do precipício”. e por isso o grupo deixou Alliance.

Os Dias da Equipe Master Jiu Jitsu Team

O grupo de dissidentes tinha alguns dos maiores lutadores de Jiu Jitsu do mundo, incluindo:

Rodrigo ‘Comprido’
Demian Maia
Leonardo Vieira
Muzio de Angelis
Jamelão
Octavio Couto ‘ Ratinho ‘
Vitor Viana
Ricardo Vieira
Tererê
Eduardo Telles

Acima de tudo, o grupo respeitava Jacaré, que tinha sido professor e líder da maioria deles desde sua juventude. Como sinal de respeito o grupo optou por seguir a hierarquia de Cavalcanti, utilizando o nome ‘Master’, o nome da academia de Romero Cavalcanti antes da Alliance ser formada. Eles também usaram o logo do Jacaré num claro sinal de que eles não estavam cortando laços com seu mestre, mas ao invez protestando contra uma pessoa singular.

A equipe Master continuou por cerca de um ano, e até mesmo Jacaré mostrou algum apoio e até “orgulho” na equipe logo após o Mundial de 2003 numa entrevista após o evento. Todo esse ambiente de calmaria mudou quando surgiram rumores de que alunos de algumas academias escolas no exterior estariam usando os dois logos das academias (Alliance & Master) nos seus kimonos em competições, como se fossem a mesma equipe. Os membros da Master acreditava que isso desacreditava o seu protesto e voltaram a pressionar Jacaré para tomar uma decisão de uma vez por todas. De acordo com nossas fontes, a retórica do Sr. Cavalcanti terá sido a mesma utilizada antes, ou seja, não querendo dar apoio nem aos lutadores nem ao professor Gurgel, e assim os membros da equipe Master decidiram cortar esse vínculo de uma vez por todas. Com a criação do novo nome (Brasa) e o logotipo, o pouco apoio que tinham de Romero desvaneceu para sempre.

Enquanto tomavam a decisão de desassociar a equipe de Jacaré, Tererê e Eduardo Telles anunciaran que estariam deixando o grupo para formar a sua própria equipe (a TT – Tererê Telles) porque se sentiam fartos ​​da situação e queria para seguir em frente com as suas vidas e carreiras.

Após a criação da Brasa Leo Castello Branco (que havia deixado a Alliance alguns anos antes também devido a um conflito de interesses com Fabio Gurgel ) juntou-se a associação Brasa.

O Nome: Brasa Clube de Jiu Jitsu

Com a equipe Master encerrado no final de 2003, um novo time teria de ser registrado para as competições de 2004 . Os membros da equipe começaram procurando ideias para o nome da nova equipe.

No site do BrazilianBlackBelt (website de Felipe Costa) se escreve que o Leo Vieira sugeriu o nome Extreme para a equipe. Isso quase se tornou o nome do clube pois Leozinho acreditava que o nome simbolizava a nova geração e o que ela representava, mas alguns acreditavam que o nome era demasiado comum por já haver outras companhias utilizando o nome. O nome Universal também foi discutido, mas considerado trivial.

O nome ‘ Brasa ‘ ocorreu de Felipe Costa que acabara de ter essa ideia aquando de uma de suas viagens a Porto Seguro, o lugar onde os Portugueses desembarcaram pela primeira vez há muitos séculos atrás . Lá, ele viu as árvores que deram nome ao Brasil, o famoso Pau Brasil. O nome foi dado à árvore devido ao seu pigmento vermelho (que era valioso para os portugueses) que se assemelhava a cor de brasa.

Felipe voltou com esse nome para os seus colegas de equipe , mas o qual não foi aceite imediatamente pois alguns acreditavam que seria ridicularizado como nome de churrascaria. Mas, com a falta de uma opção melhor, as primeiras competições foram disputadas sobre o nome Brasa e com o tempo o nome tornou-se aceite como apropriado para uma das equipes mais importantes da história do esporte.

A Separação na Brasa

Embora os primeiros 4 anos de Brasa tivessem corrido bem com 3 pódios da equipe na categoria adulto masculino no Mundial ((2 lugar em 2005 , 1 lugar de 2006 e 3 em 2007 ) e na Copa do Mundo, a equipe parecia sofrer de uma certa falta de liderança , vendo vários membros de fortes convicções empurrando o time no que parecia ser diferentes direções. Isso levou a equipe a se dividir em 2008, com os Irmãos Vieira formando a academia Checkmat. André Galvão e Ramon Lemos, dois dos membros mais importantes do time no estado de São Paulo, tambem decidiram sair no mesmo ano, para formar a sua própria academia (Atos).

A Equipe Brasa de Jiu Jitsu Hoje

O Clube Brasa de Jiu Jitsu ainda existe hoje, muito devido ao esforço de figuras como Felipe Costa, Rodrigo Comprido ou Muzio de Angelis. Professores que continuam produzindo atletas de qualidade para as melhores competições do Mundo do Jiu Jitsu. Como equipe de expressão no Jiu Jitsu internacional, a Brasa tem academias filiais espalhadas pelos Estados Unidos e Brasil, bem como por muitos outros países pelo mundo fora.

Este post também está disponível em: Inglês

One Comment

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN