A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Este post também está disponível em: Inglês

Allan Goes é um faixa preta de Jiu-Jitsu (6º grau), que fez parte da famosa Academia Carlson Gracie que dominou as competições de BJJ na decada de 1980 até ao início dos anos 90. Allan Goes se tornou também um importante representante do time em eventos de MMA (artes marciais mistas) por todo o mundo quando o foco da Academia Carlson Gracie se mudou para o vale tudo, sendo também um dos primeiros Brasileiros a trazer o estilo de Jiu-Jitsu de Carlson Gracie para os Estados Unidos.

Allan Goes Jiu-Jitsu

Nome Completo: Allan Alexandre Goes

Apelido: N/A

Linhagem: Mitsuyo Maeda > Carlos Gracie > Carlson Gracie > Allan Goes

Posição/Técnica Favorita: Arm-lock

Categoria de Peso: Pesado (94Kg)

Academia: Carlson Gracie/BTT (Brazilian Top Team)

Biografia de Allan Goes

Allan Alexandre Góes nasceu no dia 20 de Abril de 1971 no Rio de Janeiro, Brasil. Começou praticando esportes quando ainda era uma criança, sob a orientação do seu avô, que era conhecedor de Judo. Á medida que seu avô foi envelhecendo, não pode mais acompanhar Allan no seu percurso pelas artes marciais pelo que ele começou frequentando as aulas de graça na academia “Radar” em Copacabana, dadas pelo Mestre Manimal. A aula era muito cedo, às 4 da manhã, mas era a única aula de graça que havia por perto.

Em 1983, Allan conquistou a sua primeira medalha num torneio de Jiu-Jitsu em Teresópolis na faixa amarela. Carlson Gracie estava assistindo e vendo o potencial do jovem Allan imediatamente pediu ao professor Manimal (um dos melhores amigos de Carlson Gracie) para trazer Goes para a turma juvenil da famosa Academia Carlson Gracie onde ele teria parceiros de treino mais duros e em maior número. Era uma oportunidade incrível e Allan sabia disso, assim como seu avô que ficou tão orgulhoso que ele próprio foi levar o neto na academia.

Allan cresceu nas favelas do Rio de Janeiro e o seu crescimento foi tudo menos fácil. Seu pai era músico e poeta e o dinheiro não abundava. Como resultado, Goes acabou tendo problemas com a justiça, tendo sido detento no extremamente duro FEBEM (Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor). Quando deixou o FEBEM com 16 anos o Mestre Carlson Gracie tomou interesse por ele e o trouxe para morar na sua casa. Convivendo com o mestre diariamente a técnica e a personalidade de Allan cresceram exponencialmente. Teve um registro de vitórias impressionante no Jiu-Jitsu, tendo apenas perdido uma vez, para Fernando Gurgel na faixa marrom. Viveu com Carlson por 3 anos até que se alistou na Brigada de Infantaria Paraquedistas (próximo da altura em que recebeu a faixa preta).

Tendo crescido em Botafogo, Allan Goes deu por si ensinando nessa zona do Rio de Janeiro assim que teve oportunidade. Na altura as academias de artes marciais de Botafogo eram maioritariamente dominadas pelo grande rival do Jiu-Jitsu dos anos 80 e 90, a Luta Livre e rapidamente Allan percebeu o quão forte era esse domínio, tendo problemas com os professores de Luta Livre do local. A determinada altura um grupo de 20 lutadores de Luta Livre liderados por Eugénio Tadeu (que por sua vez era comandado por Hugo Duarte) apareceu na academia de Allan Goes para intimida-lo, e faze-lo sair de Botafogo. Anos mais tarde em Buffalo, Nova Iorque, Allan encontrou os mesmos Eugénio Tadeu e Hugo Duarte completamente perdidos na cidade americana e sem falar uma palavra de inglês (iam lutar um evento de MMA). Allan decidiu deixar o passado no passado e auxiliou os dois enquanto ficaram nos Estados Unidos, tendo até ficado no “corner” deles durante a luta.

Allan Goes foi também um dos primeiros representantes de Carlson Gracie no hemisfério norte, abrindo o caminho para muitos outros professores de Jiu-Jitsu que o seguiram, inclusive o seu próprio mestre, Carlson. No início da décade de 2000 no entanto ele se juntou a outros “dissidentes” da Carlson Gracie para formar a BTT (Brazilian Top Team), um time liderado por “Ze” Mario Sperry, Murilo Bustamante e
“Bebeo” Duarte, que haviam deixado o time Carlson Gracie após uma disputa interna.

Allan esteve envolvido com MMA desde que chegou nos Estados Unidos, tendo lutado por todos os cantos do planeta, do Brasil ao Japão e em alguns dos maiores eventos do mundo como Meca, Pride, UFC e IFL. Nos Estados Unidos, um dos brasileiros que ajudou Allan Goes a se estabelecer foi Joe Moreira e os dois ficaram no canto um do outro em vários eventos de MMA. Num desses eventos (UFC 8), Allan (que estava no canto de Moreira) teve uma famosa briga com um lutador de renome, Tank Abott, nos bastidores do UFC. A briga cresceu e chegou até à entrada do hotel onde os lutadores estavam hospedados, quando no dia seguinte “Tank” apareceu com mais alguns membros do seu time para ajustar as contas. A confusão foi resolvida com a ajuda de Kimo Leopoldo (outro lutador que também estava no card do UFC).

Este post também está disponível em: Inglês

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN