A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Este post também está disponível em: Inglês

Vencedor do titulo de “Melhor Técnico de MMA do Ano” pela famosa revista PVT Magazine (Portal do Vale Tudo) em 2011, André Pederneiras, apelidado de Dedé, é tido como um dos melhores professores de Jiu-Jitsu e MMA no Mundo. Líder e co-fundador da academia Nova União, Pederneiras é também famoso pelo seu trabalho nas comunidades desfavorecidas do Rio de Janeiro tendo transformado diversos jovens dessas áreas em campeões mundiais de Jiu Jitsu e MMA.

André Pederneiras Jiu Jitsu

Nome Completo: André Pederneiras

Apelido: “Dedé”, que é diminuitivo de André.

Linhagem: Mitsuyo Maeda > Carlos Gracie > Carlson Gracie > André Pederneiras

Principais Conquistas:

  • 6x Campeão Brasileiro
  • Campeão do VTJ – Vale Tudo Japão (1998)

Técnica/Posição Favorita: N/D

Categoria de Peso: Peso Leve (76kg-167lbs)

Academia: Nova Uniao

Biografia de Andre Pederneiras

André Pederneiras nasceu no Rio de Janeiro, Brasil em 22 de Março de 1967. Quando tnha 17 anos decidiu começar malhando, fazendo inscrição na (agora chamada) Upper Sports Club – hoje propriedade do próprio Pederneiras, que na altura tinha um nome diferente. “Dedé” tinha intenção de pegar peso para manter a forma, mas o pacote incluía aulas de Jiu-Jitsu e ele decidiu experimentar, como resultado, em menos de um mês de Jiu-Jitsu Pederneiras ficou viciado na arte suave.

O seu professor de Jiu-Jitsu na academia era Rodrigo Vieira, um aluno de Rickson Gracie com quem Pederneiras treinou até a sua faixa marrom. Foi próximo da altura em que recebeu a faixa marrom que Rodrigo Vieira foi convidado para dar aulas no Iate Clube Jardim Guanabara, um convite que ele aceitou deixando “Dedé” Pederneiras sem professor. Vieira e “Dedé” tinham uma boa relação com Carlson Gracie, e vendo a situação de Pederneiras, Carlson se ofereceu para lhe dar aulas, oferecendo também um lugar como professor das classes juvenis na sua academia. Foi aí que Pederneiras começou fazendo parte da Academia Carlson Gracie, recebendo a sua faixa preta com 22 anos de idade do lendário mestre Carlson.

Depois de algum tempo como faixa preta, André Pederneiras abriu o seu próprio espaço e começou dando aulas de Jiu-Jitsu na sua antiga academia. Apesar do seu pequeno time ter atingido sucesso rápidamente, ele descobriu que era difícil de competir contra as maiores equipes como a Gracie Barra e a academia de Carlson, que venciam a maioria dos campeonatos devido ao número de alunos que apresentavam. Num desses campeonatos em que entrou, conheceu e fez amizade com Wendel Alexander, que estava na mesma situação. Os dois começaram então organizando treinos conjuntos e competindo sob o mesmo nome. Rapidamente esse grupo se tornou num time de verdade, time esse que decidira, colocar o nome de Nova União.

André Pederneiras também apareceu em manchete de jornal nos anos 90 por ser um dos primeiros Basileiros a abrir as portas de sua academia para gringos, nomeadamente John Lewis e BJ Penn. Essa atitude não foi bem recebida por alguns dos mídia no Brasil, nem por alguns professores e lutadores de Jiu Jitsu, nomeadamente o seu mestre, Carlson, que o apelidou de “Creonte” (uma forma menos amigavel de chamar alguém de traidor no Jiu Jitsu). Sendo que o fato de John Lewis ter lutado contra o filho de Carlson (Júnior) não teria ajudado as coisas para o lado de “Dedé”. Felizmente com o tempo essa animosidade para com os atletas gringos se desvaneceu e hoje em dia eles são aceites como qualquer outro aluno.

No final dos anos 90, “Dedé” decidiu se aventurar no MMA, que naquela época ainda estava dando os primeiros passos como esporte. Pederneiras acabou vencendo na sua primeira luta um verdadeiro veterano e super favorito, o Japonês Rumina Sato, no Japão em 1998. Dedé perderia mais tarde para uma outra lenda do MMA, Pat Miletich, dessa vez em solo NorteAmericano, empatando duas outras lutas no Japão e terminando a sua carreira no MMA aí para se dedicar ao treinamento de atletas.

André Pederneiras sempre foi destemido nas suas decisões, mesmo as mais controversas e mais uma vez, em 2002 Andre e a sua Nova União se envolveram numa decisão menos popular quando decidiram retirar o seu time das competições da CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu) por acreditar que o Jiu-Jitsu se devia profissionalizar e que os atletas deveriam ser pagos por lutar nos grandes campeonatos. Com esse pensamento ele se juntou à CBJJO (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Olímpico), uma federação formada pelo fundador da “KF Kimonos” (e patrocinador da Nova União) Luis Herminio. O braço de ferro entre a Nova União e a CBJJ (presidida pelo líder da rival Gracie Barra Carlos Gracie Junior) durou por quatro anos até que finalmente a Nova União regressou ao Mundial e a CBJJO foi dissolvida com diversos problemas internos e financeiros. Sendo reinstituída mais tarde sob nova gerência.

Sendo o proprietário do evento Shooto Brazil e da sua antiga academia “Upper Sports Club”, André Pederneiras comeu ajudando as comunidades locais, através de várias instituições de caridade e abrindo as portas da sua academia e treinando muitos que não poderiam pagar uma mensalidade. André Pederneiras é considerado um ativista, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das pessoas de certas áreas mais desfavorecidas do Rio de Janeiro.

Á medida que a Nova União se tornou um nome de peso para os fãs do MMA, André Pederneiras ficou com o controle do time de MMA, deixando o time de Jiu-Jitsu a cargo de André Marola e Wendel Alexander.

Este post também está disponível em: Inglês

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN