A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Este post também está disponível em: Inglês

Carlos Gracie Júnior, também conhecido por Carlinhos Gracie, é um dos mais respeitados professores de Jiu-Jitsu do mundo, tendo sido responsável pela aprendizagem de centenas lutadores, inúmeros campeões mundiais, incluindo os famosos como “Roleta” e Kyra Gracie. Carlos Gracie Júnior é também o fundador da mais antiga e mais prestigiada organização regente do Jiu-Jitsu, a Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ) também conhecida internacionalmente como “International Brazilian Jiu-Jitsu Federation” (IBJJF), além de ter fundado de uma das equipes de topo do esporte, a famosa Gracie Barra.

“Carlinhos” Gracie Jiu Jitsu

Nome Completo: Carlos Gracie Junior

Apelido: Como seu tinha o mesmo nome do seu pai, foi apelidado com o diminutivo “Carlinhos”.

Linhagem/Genealogia: Mitsuyo Maeda > Carlos Gracie Sr. > Carlos Gracie Junior

Principais Conquistas:

  • Campeão Pan-Americano de Sambo (1980)

Posição/Técnica Favorita: N/D

Categoria de Peso: N/D

Academia: Gracie Barra

Biografia de Carlos Gracie Júnior

Carlos Gracie Júnior nasceu no Rio de Janeiro, Brasil, no dia 17 de Janeiro de 1956 e sendo um dos filhos do fundador do Jiu-Jitsu Gracie, Carlos Gracie (sénior), foi em grande parte criado pelo seu tio  Hélio Gracie e começou treinando na academia de seu tio desde muito cedo. Apesar de treinar na academia de Hélio, Carlinhos sempre se tentou seguir as ideias de seu irmão Rolls, um dos grades herois do esporte na decada de 1970. Carlinhos seguiu muito os metodos de Rolls Gracie sobre Jiu-Jitsu e treino de outras artes marciais, muitas vezes se aventurando com seu irmao no sambo (luta agarrada de origem Russa) e em campeonatos de luta livre (estilo olimpico). Rolls era o principal instrutor na academia Gracie e quando ele deixou a academia para se juntar ao seu outro irmão, Carlson Gracie, Carlinhos ficou e ajudou a gerir a principal academia Gracie (Humaita) junto com seu primo Rickson Gracie. Ficou por lá ensinando por dois anos, mas os seus primeiros passos como professor pararam quando ele foi aceite em uma universidade do Rio de Janeiro para estudar nutrição. Nessa mesma época em que Carlos Júnior se inscreveu na Universidade, Rolls Gracie começou a dar as suas próprias aulas, separando os seus alunos de seu irmão mais velho (apesar de partilharem o mesmo espaço). Rolls pediu então ao seu irmão Carlinhos para vir auxiliar como assistente nessas aulas e como a Universidade era perto da academia, Carlinhos aceitou.

Quando Rolls faleceu devido a um acidente de asa delta, os alunos e a esposa de Rolls pediram a Carlos Gracie Júnior para ficar com a turma e ser o professor responsável na academia de Copacabana, um convite aceite pelo enlutado Carlinhos. Por alguns anos ele se manteve nessa condição na academia, antes de decidir que tinha chegado a hora de abrir a sua própria academia, na Barra da Tijuca.

A Barra da Tijuca era então um pequeno subúrbio do Rio de Janeiro, com uma praia fantástica, mas com fracas acessibilidades ao centro do Rio. Todos os amigos mais próximos de Carlinhos o aconselharam que se mudar para a Barra era uma má ideia, mas ainda assim Carlinhos se manteve firme e avançou com o projeto e foi assim que começou a Gracie-Barra. O nome escolhido de Gracie-Barra servia para diferenciar a sua academia da do seu tio. Apesar de muitos terem dito que a mudança para a Barra não resultaria, em pouco mais de um ano, o número de alunos cresceu de 20 para 200, na sua maioria surfistas ou “cascas grossas” locais que procuravam um desafio. Com tempo, começaram a surgir várias academias de Jiu-Jitsu por todo o Rio de Janeiro, muitas criadas por faixas pretas de Carlson Gracie e Carlos viu aí uma necessidade de competições mais organizadas e uma confederação credível, e sendo o visionário que é criou a CBJJ – “Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu” que mais tarde cresceu e se tornou a IBJJF (International Brazilian Jiu-Jitsu Federation).

Apesar de ter havido alguma resistência, especialmente no começo da confederação, por não haver na CBJJ uma eleição democrática, falta de premiação monetária para os competidores ou até pelo preço dos seus campeonatos, a verdade é que muitas confederações foram e vieram e a CBJJ/IBJJF ainda se mantém como a mais prestigiada e melhor organizada confederação do Jiu-Jitsu e as vitórias nos seus campeonatos são tidos como os mais prestigiantes pela comunidade da arte suave. No meio disso, entre abrir academias e federações, Carlinhos ainda conseguiu produzir alguns dos melhores lutadores e professores de Jiu-Jitsu do mundo, e um dos times de maior sucesso da história do esporte, sendo a academia com mais títulos internacionais na sua globalidade.

Carlos Gracie Júnior sera sempre lembrado como um verdadeiro embaixador do esporte/arte marcial que é o Jiu-Jitsu, e como sinal do estatuto atingido, foi graduado Faixa Coral em 2008, uma das maiores honras que existem no mundo do Jiu-Jitsu.

 

Este post também está disponível em: Inglês

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN