A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Este post também está disponível em: Inglês

Ricardo Libório, é o líder e fundador de uma das maiores academias de MMA no mundo, a American Top Team (ATT). Libório é ainda considerado por muitos como o melhor faixa preta de Jiu-Jitsu formado pelo Mestre Carlson Gracie. Ricardo Libório foi o primeiro campeão mundial de Jiu-Jitsu na categoria super-pesado (uma categoria que ele venceu pesando pouco mais de 78kg).

Ricardo Libório Jiu-Jitsu

Nome Completo: Antonio Ricardo Jardim Libório

Linhagem: Mitsuyo Maeda > Carlos Gracie > Carlson Gracie > Ricardo Libório

Principais Conquistas:

  • 3x Campeão da Copa Company
  • Campeão Mundial de Jiu-Jitsu (1996)
  • Medalha de Prata no ADCC (2000)
  • Medalha de Bronze no ADCC (1999)

Tecnica Preferida: Passagem de guarda

Categoria de Peso: Ricardo muitas vezes competia nas categorias mais pesadas apesar de pesar perto de 78kg.

Academia: American Top Team (ATT), Academia Carlson Gracie Quando competia

Biografia de Ricardo Libório

Ricardo Libório nasceu no dia 13 de Julho de 1967 no Rio de Janeiro, Brasil. Começou a praticar artes marciais com 4 anos de idade, se iniciando no Judô, competindo pela primeira vez apenas um ano depois, com 5 anos. Libório treinou também na arte coreana Tae Kwon Do por alguns anos antes de encontrar o Jiu-Jitsu na adolescência (perto dos seus 15 anos).

O seu primeiro local de treinamento foi a academia Carlson Gracie, em Copacabana, Rio de Janeiro. O espaço era partilhado com Rolls Gracie, irmão de Carlson, que faleceu poucos meses depois de Libório começar a treinar, devido a um acidente de asa-delta. Sob a liderança de Carlson Gracie, Ricardo despontou para o Jiu-Jitsu, vencendo vários campeonatos para o time. A sua forte base de Judô e a sua espantosa compreensão do Jiu-Jitsu fizeram com que ele tivesse sucesso e ultrapassasse as dificuldades.

Outra característica interessante sobre Ricardo Libório que atesta bem do seu espirito guerreiro era que ele gostava de lutar nas categorias acima do seu peso para se testar. Ricardo não era um lutador pesado, normalmente andando em torno dos 78kg, mas lutava na categoria super-pesado e absoluto. Um bom exemplo disso foi no Campeonato Mundial de 1996, onde Libório decidiu lutar o absoluto para vingar a sua derrota no Campeonato Brasileiro de 1993 para o muito maior Leo Castello Branco. Castello Branco estava vencendo nos minutos finais quando Libório conseguiu lhe aplicar uma queda e montar rapidamente, vencendo a luta e levando o ouro no primeiro Campeonato Mundial da história.

Ricardo Libório tinha um relacionamento especial com seu mestre, Carlson Gracie, sendo referido muitas vezes por ele como o seu melhor aluno. Mesmo assim, por volta do ano 2000, era evidente que o time Carlson Gracie não estava contente com o seu líder. O Grande Mestre Carlson passava meses a fio na sua academia de Chicago, negligenciando as aulas no Rio de Janeiro (que eram dadas pelos seus alunos mais graduados, o próprio Libório, Sérgio “Bolão” e outros). Por volta dessa época os alunos exigiram que Carlson assinasse um contrato que lhe permitiria receber 30% das bolas de seus lutadores, mas só na condição que ele regressasse ao Brasil um mês antes das competições para treinar os seus alunos. O contrato foi assinado mas não foi seguido pelo Grande Mestre, o que causou grande tumulto dentro do time.

Na mesma época, Ricardo Libório saiu do Brasil para competir no ADCC (o maior campeonato de submission do mundo). Libório viajou com seu colega de equipe Ricardo Arona, conquistando uma medalha de prata e Arona o ouro. Quando regressou ao Brasil, Libório não teve chance de ir na academia porque teve que viajar de seguida para o Japão, para ficar como “corner” de outro colega de equipe, Murilo Bustamante, que ia fazer uma luta de MMA. Foi lá que Libório e Bustamante descobriram que tinham sido expulsos da academia Carlson Gracie juntamente com vários outros alunos.

A expulsão foi um choque para Libório, que acreditava que tudo poderia ter sido resolvido com uma reunião. Voou para Chicago para falar com seu mestre e resolver as coisas, mas Carlson estava decidido e não ia voltar atrás na decisão. Ricardo voltou para o Rio e ajudou a criar um novo time, juntamente com os dissidentes de Carlson Gracie. O time foi chamado Brazilian Top Team (BTT). O treinamento de Jiu-Jitsu era liderado por Ricardo Libório e “Bebeo” Duarte, enquanto que Murilo Bustamante e Zé Mário Sperry eram a cara da academia e também dois dos seus mais fortes competidores no MMA.

Ricardo Libório começou a se afastar da BTT em 2001, quando estava no Japão preparando Antonio Rodrigo Nogueira, o “Minotauro”, para a sua luta contra Mark Coleman. Um promotor de lutas japonês convidou Ricardo para ficar e treinar lutadores japoneses por 6 meses. A proposta era tentadora e Libório prometeu pensar nela enquanto estivesse nos Estados Unidos, onde foi auxiliar o seu amigo Murilo Bustamante antes da sua luta com Chuck Lidell. Lá conheceu Dan Lambert, um empresário americano. Quando Dan soube da proposta feita pelo japonês fez uma contraproposta para ficar um semestre também, na Florida. Ricardo aceitou, mas depois de alguns meses ele decidiu que adorava a sua nova vida na América e quis ficar. Ricardo comprou depois o nome ATT e quebrou as suas relações contratuais com a BTT, enquanto mantinha uma ligação muito forte e sadia com o time brasileiro.

Ricardo Libório, Dan Lambert, Marcelo e Conan Silveira juntaram forças e formaram a American Top Team, um time que vem se tornando cada vez mais forte com o passar dos anos, no MMA e nas lutas de chão nos Estados Unidos.

Ricardo Liborio vs Marcelo Figueiredo

Este post também está disponível em: Inglês

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN