A Historia do Jiu Jitsu, Academias, Mestres, Competidores, Resultados das Maiores Competições e as Últimas Novidades

Submission Underground 2  Live Stream

Este post também está disponível em: Inglês

Royler Gracie é filho do Grande Mestre Hélio Gracie e uma lenda do Jiu Jitsu e do submission, tendo sido o primeiro “Rei” da categoria pena, sendo detentor do record de vitórias em Campeonatos do Mundo na sua época. Royler se aventurou também no MMA, terminando a sua carreira em 2006, se tornando depois um professor de Jiu Jitsu reconhecido mundialmente, liderando a famosa academia Gracie Humaitá, desenvolvendo lutadores como “Megaton” Dias, Saulo e Alexandre Ribero, Omar Salum, Renato Barreto e muitos outros. Em 2010 Royler viajou para San Diego, Califórnia, onde abriu a sua própria academia de Jiu-Jitsu.

Royler Gracie Jiu Jitsu

Nome Completo: Royler Gracie

Apelido: N/D

Linhagem: Mitsuyo Maeda > Carlos Gracie > Helio Gracie > Royler Gracie

Principais Conquistas:

  • Campeão Mundial (1996, 1997, 1998, 1999)
  • Campeão Pan-Americano (1997, 1999)
  • Campeão do ADCC (1999, 2000, 2001)

Técnica/Posição Favorita: N/D

Categoria de Peso: Peso Pena (70kg)

Academia: Gracie Humaitá

Biografia de Royler Gracie

Royler nasceu no dia 6 de Dezembro de 1965 no Rio de Janeiro, Brasil. Começou a aprender Jiu-Jitsu ainda bebé pelas mãos de seu pai, de uma maneira alegre e divertida, muitas vezes jogando uma peladinha nas aulas, mas à medida que crescia, as brincadeiras foram ficando de lado e a arte marcial ficou. Royler começou levando o Jiu-Jitsu mais a sério quando tinha 7 ou 8 anos, sob a orientação do seu primo Rolls Gracie. Royler afirmou que alguns dos seus momentos mais felizes foram vividos nesse período, morava em Botafogo e todos os dias ele ia de ônibus para Copacabana junto com seus irmãos Royce e Rolker para treinar na famosa academia de seu primo. As aulas começavam às 17h e terminavam às 18h, mas ele regularmente ficava até às 20:30h ou 21h para ver os adultos treinar e observar as suas técnicas enquanto questionava os conhecedores sobre elas.

Rolls encorajava Royler enquanto criança, acreditando bastante nele e Royler por sua vez tentou moldar o seu Jiu-Jitsu no do seu primo. Os dois eram muito próximos e foi com grande choque que Rolls faleceu devido a um infeliz acidente de asa delta, mas Royler não se desviou do Jiu-Jitsu, mudando o seu treinamento para a academia do seu irmão mais velho, Rickson Gracie.

Foi com o seu pai e irmão que Royler começou a encarar as competições mais a sério, Hélio o encorajava a competir dizendo “Se você ganhar eu te dou 5 dólares, se perder te dou 10 dólares”. No começo Royler não entendia as intenções de seu pai, mas mais tarde compreendeu que era a forma de seu pai tirar a pressão de cima dele. O plano de Hélio funcionou e Royler se tornou num lutador formidável, um dos melhores de sempre. As suas vitórias se tornaram lendárias, tanto no Jiu-Jitsu como no Submission, tendo uma série de vitórias que durou por anos, até que em 1987 ele foi surpreendido pela matreira guarda de De La Riva na “Copa Cantão”, um campeonato que ele perdeu por uma raspagem, mas não foi até 1988 que Royler seria finalizado, e dessa vez foi contra um oponente muito maior, Zé Mario Sperry que lutava na categoria Super Pesado.

Quando Rickson se mudou para os Estados Unidos, Royler ficou com a gigantesca tarefa de ocupar o seu lugar na academia Gracie Humaitá, uma tarefa que ele desempenhou na perfeição, sendo responsável pela formação de alguns dos melhores do esporte dos dias de hoje (pessoas como Saulo e Xande Ribeiro, entre muitos outros).

Sempre tentando melhorar o seu Jiu-Jitsu, Royler frequentemente olhava para outras formas de luta, tal como o seu primo Rolls, treinando bastante Judô, tanto no Sion (anteriormente Vasco da Gama) como no Flamengo, para melhorar a sua base e acabou até competindo na arte marcial Japonesa, conquistando uma medalha de prata no Campeonato Brasileiro de Judô. Em 1997 Royler testou a categoria Absoluto do Campeonato do Mundo. Fez 6 duríssimas lutas antes de chegar nas semifinais, encontrando do outro lado da chave Amaury Bitetti, que tinha feito somente duas lutas após algumas desistências em seus oponentes lhe terem permitido avançar por WO. Amaury também não tinha lutado no peso, estando assim bastante menos fatigado que Royler. Quando se enfrentaram, Royler tentou lutar por cima, mas foi vencido pela superior força e frescura física do seu adversário, acabando por tomar uma queda e perdendo a luta por dois pontos. Ficou em 3º lugar no Absoluto, sendo um Peso Pena.

Quando Royler decidiu competir no MMA, procurou também melhorar o seu jogo em pé, treinando boxe com Claudio Coelho, um treinador que o ajudou bastante, levantando sua moral e melhorando a sua confiança assim como a sua técnica de mãos. Em 2000 Royler aceitou lutar contra Kazushi Sakuraba, um lutador de MMA que era Peso Médio na altura e pesava perto de 85kilos. Royler foi o primeiro Gracie a perder para o lutador Japonês, sendo finalizado por uma Kimura no segundo round.

Em 2010, depois de 20 anos vivendo entre o Rio de Janeiro e San Diego (Califórnia), Royler decidiu se mudar definitivamente para os Estados Unidos, deixando Rolker Gracie tomando conta da Gracie Humaitá por si só. Em San Diego ele encontrou um lugar onde pode viver mais relaxado, desfrutar do sol e ainda praticar o seu hobi, o surfe.

Foto de capa (banner) autoria de William Burkhardt (BJJ Pix).

Royler Gracie x Juan Valles

Este post também está disponível em: Inglês

Leave A Reply

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET

LOG IN